Porque choramos de tanto rir?

Respeitável público, domingo é o Dia do Circo!

E a parte mais gostosa desse espetáculo é, sem dúvida, a alegria sem fim que ele pode nos proporcionar! Gargalhadas e mais gargalhadas que dão até vontade de chorar… chorar de alegria? Como assim?!

O motivo não é completamente compreendido por especialistas, mas nós podemos chorar de tanto rir e até rir quando estamos com vontade de chorar. Uma das explicações, de acordo com especialistas, é que a mesma área do cérebro humano é responsável pelo choro e pelo riso.

Outra explicação é que as lágrimas aparecem depois de fortes movimentos, como as gargalhadas. Essas lágrimas são consideradas reflexivas porque vem de fatores externos e não de emoção.

Que tal levar os pequeninos ao circo, já que é o dia dele, e comprovar tooooooda essa teoria na pratica? <3



Postado em 24/03/2016 às 08:00:00

Comentários

  • Nenhum comentario enviado ainda, seja o primeiro a comentar...
Comentar

Como ensinar seu filho a lidar com a frustração?

Aprender a superar as decepções é um exercício para que as crianças se tornem adultos com mais maturidade e menos medos. Pais não devem proteger os filhos das frustrações, mas ajudá-los a lidar com elas. Perder no jogo, tirar notas baixas na escola, não ter o brinquedo que quer. Sentir-se frustrado não é exclusividade dos adultos: a decepção faz parte da vida das crianças e tem papel importante no desenvolvimento delas. Embora nenhum pai queira ver seu filho triste ou sofrendo, é preciso ter em mente que ele vai passar por essas situações em diversos momentos da vida e que elas serão importantes para que a criança amadureça e se torne mais forte.

Quando as crianças começam a ter frustrações?
A resposta é: desde o nascimento. Nos primeiros meses de vida, o bebê vive uma fase conhecida como fase egocêntrica, que se caracteriza por desejar que todas as suas vontades sejam atendidas imediatamente. "Quando a mãe não dá o seio imediatamente após o choro (seu desejo), ela já o está frustrando", explica Maria Rocha, psicóloga e diretora pedagógica do Colégio Ápice.

Qual a importância de aprender a superar as frustrações?
As frustrações, por menores que sejam e, independentemente da idade da criança, constituem situações onde ela constrói parâmetros internos para lidar com situações de conflito, negação e perdas, conforme ressalta Itamara Teixeira Barra, psicopedagoga e coordenadora do Ensino Fundamental I do Colégio Nossa Senhora do Morumbi: "Faz parte do desenvolvimento infantil e do crescer. Nessas situações a criança aprende a ter condições emocionais de se equilibrar diante de um desconforto". Além disso, aprender a superar as decepções é um grande exercício de criatividade. "A cada situação de frustração a criança consegue encontrar algo que a traga novamente ao equilíbrio. Ela encontra uma saída para lidar com o desconforto. Todo este movimento tem a ver com a criatividade", completa.

Quando posso ajudar meu filho a evitar as decepções e quando não devo fazer isso?
Sigamos o seguinte raciocínio: se seu filho não estudar e não se preparar bem, provavelmente terá resultados decepcionantes na escola, certo? Nesse sentido, você pode ajudar, orientando para que ele se empenhe nos estudos e evite a situação da frustração. Mas há outros casos em que você não deve interferir como quando, por exemplo, vocês jogam uma partida de algum jogo. Não é porque ele é pequeno que você deve deixá-lo ganhar para que não fique triste. Também não deve dar tudo que ele quer na hora que ele quer: saber esperar é um aprendizado importante. Maria Rocha, psicóloga e diretora pedagógica do Colégio Ápice, lembra que os pais não devem ceder às manipulações dos filhos. "As crianças têm uma enorme capacidade de manipular os adultos e usam o que mais percebem que os incomoda: choro, recusa de alimentação, perda do fôlego, bater a cabeça, etc".

O que acontece com as crianças que não aprendem a superar as frustrações?
Os pais poderão atender ao desejo do filho sempre que quiserem, mas não poderão fazer isso para sempre. "Quando essa criança crescer e for inserida no contexto social, ela vai vivenciar situações de frustração que poderão gerar dificuldades emocionais", diz Maria Rocha, psicóloga e diretora pedagógica do Colégio Ápice. E mais: crianças que não sabem lidar com suas decepções se tornam adultos que não conseguem perceber o outro. "Ela cresce pensando que o que vale é o que ela pensa e o que quer. Tem também dificuldade de se planejar e de desenhar projetos na vida pessoal ou profissional: como quer tudo do seu jeito e imediatamente, não consegue se organizar, ter metas e objetivos. Além disso, seus relacionamentos ficam mais restritos, pois não sabe como levar em conta o que as outras pessoas pensam e querem", diz Itamara Teixeira Barra, psicopedagoga e coordenadora do Ensino Fundamental I do Colégio Nossa Senhora do Morumbi.

Por que não devo facilitar e deixar meu filho ganhar quando jogo com ele?
Quando jogar com seu filho, jogue de verdade. "Facilitar, deixar ganhar só para que a criança não se frustre, mostra a ela que sempre irá ganhar seja qual for a situação. Quando a criança perder, é preciso deixar claro que você está ali para ajudá-la a suportar a frustração de perder. Mas que, de fato, não é sempre que ganhamos. Ganhar depende de vários fatores como sorte ou boas estratégias de jogo", diz Itamara Teixeira Barra, psicopedagoga e coordenadora do Ensino Fundamental I do Colégio Nossa Senhora do Morumbi. Segundo ela, o importante é que a criança perceba que num primeiro momento a derrota dá uma sensação ruim, frustrante, mas que passa logo. E mais: sempre há a oportunidade de jogar novamente. Para Maria Rocha, psicóloga e diretora pedagógica do Colégio Ápice, os jogos também oferecem outros ensinamentos para a criança como esperar sua vez de jogar, jogar apenas uma vez mesmo se errar, contar os pontos. "A criança que tem dificuldade de perder tende a manipular tanto os adultos como outras crianças, desrespeitando as regras a fim de levar vantagem. É importante que em situações de jogo com os adultos esses não permitam que a criança mude as regras", diz Maria Rocha.

Se é importante ensinar a perder, é também importante ensinar a ganhar?
Sim, tão importante quando ensinar a perder é mostrar ao seu filho como ele deve se comportar quando ganha. "Ao ganhar, o importante é mostrar para a criança que se colocar acima do adversário e zombar são posturas que deixam o outro em situações constrangedoras e que o "perder" para o adversário toma uma proporção muito maior. Sentir-se bem, feliz e satisfeito faz parte de uma situação de ganhar, mas ela não deve desvalorizar o outro", diz Itamara Teixeira Barra, psicopedagoga e coordenadora do Ensino Fundamental I do Colégio Nossa Senhora do Morumbi.

Como os pais devem lidar com frustrações dos filhos como quando ele tira notas baixas?
A escola e os pais devem ajudar as crianças a lidar com as frustrações provocada pelas notas baixas. Um dos caminhos, segundo a psicopedagoga Itamara Teixeira Barra é que as escolas compartilhem com os alunos os critérios de avaliações que a escola utiliza. Dessa forma, a criança pode fazer uma autoavaliação sobre seu desempenho. "Já os pais devem sempre valorizar o que os filhos já conseguiram e deixar claro que confiam nela, para melhorar e avançar em seu processo de aprendizagem", afirma Itamara. A psicóloga Maria Rocha ressalta que os pais também podem ajudar as crianças a rever sua rotina de estudos.



Postado em 18/03/2016 às 08:09:51

Comentários

  • Nenhum comentario enviado ainda, seja o primeiro a comentar...
Comentar

Bolo da Matilda

Quem já assistiu o filme Matilda deve lembrar da cena onde o gordinho Bruce é obrigado pela diretora a comer um bolo de chocolate gigantesco. A verdade é que quem viu esta cena, provavelmente, também sentiu vontade de comer um pedaço do bolo de chocolate mais famoso do cinema. E por isso hoje a gente trouxe a própria receita do bolo de chocolate da Matilda! Vem ver:

Masssa
2 xícaras de farinha de trigo
1/2 xícara de chocolate em pó
1 xícara de água quente
1 xícara de açúcar
4 ovos
1/2 xícara de óleo
1 colher de chá de bicarbonato
1 colher de sopa de fermento

Modo de preparo: Bata as claras em neve e misture os ingredientes secos, menos o açúcar. Feito isso bata bem as gemas, o açúcar e o óleo na batedeira. Coloque a batedeira na menor velocidade e acrescente os ingredientes secos intercalando com a água quente na mistura das gemas. Depois é só untar bem a forma e assar em forno aquecido a 180º por 30 min ou até estar assado.

Importante: Espere esfriar para desenformar.

Ganache
450g de chocolate amargo
1 caixa de creme de leite
1 colher de sopa de manteiga

Modo de preparo: Derreta o chocolate com o creme de leite. Depois acrescente a manteiga gelada e misture até derreter. Deixe fora da geladeira.

Calda
4 colheres de sopa de achocolatado
1 xícara de água

Modo de preparo: Em uma panela, coloque o achocolatado e a água, deixe ferver.

Depois de desenformar o bolo corte-o ao meio com um fio dental. Regue bem o bolo com a calda e recheie com o ganache. Depois, coloque a outra metade do bolo, regue e cubra com mais ganache. E está pronto o melhor bolo de chocolate do mundo!  :D

Fonte: Mixidão



Postado em 11/03/2016 às 08:31:38

Comentários

  • Nenhum comentario enviado ainda, seja o primeiro a comentar...
Comentar

Teatro de caixa de sapato

Tem uma caixa de sapatos sobrando? Recicle-a e transforme-a em um teatro de fantoches com luzes e temática ártica/polar! É fácil de fazer e perfeito para brincar com a improvisação e a imaginação, mesmo depois que as luzes são apagadas.

Nota:
Por causa das peças pequenas, esse é um projeto indicado para crianças com idade a partir de 3 anos. Crianças mais velhas e adultos podem preparar a caixa e os pequenos podem desenhar, decorar, e jogar.

O que você vai precisar:
Caixa de sapatos com tampa
1 pedaço de papelão com tamanho aproximado de A3
1 folha de ofício branca
2 folhas de papel tamanho A4 azul escuro e azul claro
5 ou 6 espetos de madeira
1 fio de luzes de Natal (10 luzes)
Pequenas miçangas de madeira

Ferramentas:
Régua
Estilete
Esteira de corte
Tesoura sem ponta
Canetinhas (preta e coloridas)
Lápis
Fita adesiva
Cola
Cola em bastão

Passo 1

Marque uma moldura na parte inferior da caixa de sapatos e corte-a como na foto. Desenhe 3 ou 4 linhas sobre um dos lados comprido da caixa de sapatos e corte com o estilete (certifique-se de que elas são mais largas do que os espetos de madeira).

Passo 2
Para fazer uma plataforma, marque e corte como antes as mesmas linhas em um pedaço ligeiramente menor de papelão, que deve caber dentro da caixa como na foto. Cortar duas peças mais pequenas para caber entre os dois andares, de modo que a plataforma fique alinhada com a parte inferior do quadro.

Nota importante:
Experimente os espetos de madeira nesse momento: eles devem mover-se facilmente. Se não, cortar as linhas mais largas para acomodá-los.

Passo 3

Cole as duas peças separadoras de plataforma. Adicione cola para os buracos das miçangas e encaixe-as nos espetos através das linhas.

Passo 4
Vamos decorar! Utilize a tampa da caixa de sapatos para o fundo. Para criar o tema ártico, use papel azul e branco. Rasgue o papel branco para as partes nevadas. Corte três pedaços de papelão menores e decore-os. Em seguida, cole-os entre as linhas no chão para o gelo em camadas.

Passo 5
É hora de criar seus fantoches da neve! Desenhe vários pinguins e uma baleia (desenhos do tipo infantil, para deixar a brincadeira agradável). Pinte e recorte os fantoches. Cole eles nos espetos de madeira.

Passo 6
Faça vários furos no fundo usando um espeto de madeira para colocar as luzes de natal. Tape o cabo elétrico com a tampa.

É hora de desligar as luzes e começar a jogar!

Fonte: Handmade Charlotte



Mais imagens


Postado em 04/03/2016 às 08:08:45

Comentários

  • Nenhum comentario enviado ainda, seja o primeiro a comentar...
Comentar
 1 




Kiko e Kika       |       © Copyright 2013
« voltar ao site