Campeões de esconde-esconde

Em pleno feriado, a casa vira uma bagunça,
e no meio da brincadeira é impossível ficar parado. 
Olhos fechados, conto até dez e você se esconde do jeito mais apropriado. 
Alguns participantes, na hora do esconde-esconde, preferem mesmo improvisar.
Ao escolherem o lugar mais secreto, encontram o mais impossível,
quase não dá pra acreditar. 

Selecionamos algumas imagens, com os campeões dessa brincadeira,
será que algum deles você é capaz de encontrar? :D



Mais imagens


Postado em 30/04/2015 às 08:39:48

Comentários

  • Nenhum comentario enviado ainda, seja o primeiro a comentar...
Comentar

A crise dos 2 anos

De repente, aquele neném fofinho, que era só sorrisos para a mamãe e o papai, passa a bater nos outros, se debater, arremessar o que estiver à mão e choramingar cada vez que pede alguma coisa. Diz não para tudo e parece ser sempre do contra na hora de sair, trocar de roupa e aceitar as decisões dos pais.

Se você se identificou com este “fenômeno” saiba que é algo comum, que tem até nome: adolescência do bebê. Acontece quando a criança se dá conta de que é um indivíduo e luta para conquistar o seu espaço (gritando, batendo nos outros ou se jogando no chão). Cabe aos pais ter muita calma, paciência e ensinar que esse comportamento não leva a nada.

- A causa é simplesmente o desenvolvimento natural da criança. A fase dos 2 anos de idade é um período de grandes mudanças. Aos poucos, os pequenos passam a se perceberem como indivíduos, com desejos e opiniões próprias, e isso gera uma enorme necessidade de tomar decisões e fazer escolhas por si. Mas, ao mesmo tempo em que ela quer tomar suas decisões, ainda tem muitas dificuldades para fazê-lo, dado que ainda não tem maturidade suficiente. Ela discorda até dela mesma!

- Não há a necessidade de tentar evitar esse período. E nem há como fazê-lo. O importante é conhecer e lidar de modo construtivo com essa fase dos pequenos. E saiba que nem todas as crianças passam por isso. Algumas demonstram essas características mais intensamente do que outras.

- Se a birra acontecer em um lugar público, como o supermercado ou o shopping, não se desespere. Nem pense em palmadas, puxões de orelha ou qualquer outro comportamento agressivo para tentar conter uma birra. Antes de sair, explique aonde vão, como espera que a criança se comporte e as consequências para o seu mau comportamento. Uma dica bacana para mudar o foco da birra é chamar a atenção da criança para outra situação. Mostre um objeto ou comece a falar de outro assunto. Ignorar a birra costuma dar ótimos resultados.

- Os pequenos precisam aprender a lidar com as frustrações. As crianças, assim como nós, adultos, também ficam bravas, tristes, frustradas e chateadas. Ao longo da vida, ela vai se deparar com diversas situações que despertarão esses sentimentos. Para contribuir de modo positivo com o desenvolvimento emocional e psicológico dos pequenos, os pais devem parar de tentar poupá-los de situações frustrantes e passar a explicar esses sentimentos, apontando caminhos para que consigam lidar com eles.

- Comportamentos autodestrutivos merecem atenção especial. Em geral, as crianças recorrem a esse tipo de autoagressão como uma tentativa de conseguir a atenção dos adultos. O ideal é conter a ação da criança sem dar atenção ou demonstrar comoção pela atitude. Se a criança começar a apresentar comportamentos autodestrutivos, como se arranhar, bater em sua cabeça e puxar os cabelos, com frequência, vale a pena consultar um especialista porque isso pode indicar uma tentativa da criança de evitar o contato com algo que esteja lhe causando angústia.

E lembre-se, paciência é sempre o melhor jeito de deixar as coisas mais simples.  :)

Postado em 24/04/2015 às 08:11:38

Comentários

  • Nenhum comentario enviado ainda, seja o primeiro a comentar...
Comentar

Mamulengo: poesia com jeito de brincadeira

“Só pode brincar mamulengo se for poeta.
Se não for poeta não pode brincar".

- Mestre Luiz da Serra

Você sabe o que é Mamulengo?
Também conhecido como Cassimiro Coco (no Maranhão e Ceará), João Redondo e Calunga (no Rio Grande do Norte) e Babau (na Paraíba), o Mamulengo é um teatro de bonecos que nasceu em Pernambuco. A brincadeira começa com a montagem da empanada, uma espécie de barraca. Depois disso, os brincantes se colocam na parte de trás e então começa o espetáculo.

A origem desse nome se perde na história, mas a explicação mais popular é que seria uma união das palavras mão e molengo, porque o mamulengueiro (a pessoa que conduz a brincadeira, escondidinha atrás da pequena barraca), tem que ter uma grande habilidade para cuidar de até 60 bonecos durante a brincadeira, que pode durar até oito horas! O Mestre (que é como é chamado o mamulengueiro), tem que ser poeta, ator, dançarino improvisador, cantor, tem que ser mais que artista, tem que viver e incorporar cada personagem.

A parte mais incrível é que no início dessa semana, o Ministério da Cultura reconheceu o Mamulengo (Teatro de Bonecos Popular do Nordeste) como patrimônio cultural do Brasil! Com esse reconhecimento, o teatro de bonecos passa a ser protegido. É uma garantia de que essa arte (que você pode apreciar um pouco no vídeo abaixo) não irá se perder com o tempo.

Legal, né? *-*

Vídeos


Postado em 17/04/2015 às 08:50:26

Comentários

  • Nenhum comentario enviado ainda, seja o primeiro a comentar...
Comentar

Máscaras de feltro de animais

Crianças adoram histórias, ainda mais se podem fazer parte delas. Que tal aproveitar essas máscaras para criar um mundo novo com os pequenos?

Você vai precisar de:

- Molde de bichinho, que pode ser de urso, raposa ou coruja
- 23 cm de feltro (para cada máscara);
- Retalhos de feltro para os detalhes;
- Elástico;
- Linhas de costura combinando com as cores do feltro;
- Agulha;
- Tesoura;
- Alfinete.

A partir do molde escolhido, recorte as peças no feltro (não esqueça dos olhos) e posicione uma sobre a outra com a ajuda de alfinetes para não sair do lugar. Na parte da frente da máscara costure cada peça com linhas que combinem.

Meça e corte o elástico de acordo com o tamanho da cabeça da criança, depois junte a parte da frente com a de trás da máscara e entre elas alfinete o elástico no local demarcado no molde. Para finalizar é só costurar ao redor da máscara e dos olhos para que tudo fique no lugar!

Com certeza as histórias ficarão mais divertidas com essas fofuras!

Fonte: A Beautiful Mess

Mais imagens


Postado em 10/04/2015 às 09:11:48

Comentários

  • Nenhum comentario enviado ainda, seja o primeiro a comentar...
Comentar

A saúde do bebê e da mamãe na gestação

Na gravidez, principalmente na primeira gestação, surgem muitas dúvidas e inseguranças. Isso porque, as mamães querem que tudo esteja perfeito para a chegada deste membro tão especial. O post de hoje, veio para ajudar essas futuras mães e está recheado de dicas para uma gravidez mais saudável. Mas lembre-se que o mais importante é manter a calma, relaxar e curtir muito esse período que passa super rápido!

Vamos as dicas:

1. Alimente-se bem. Evite alimentos gordurosos ou com excesso de sal e açúcar. Varie o consumo de frutas, verduras e legumes.

2. Planeje o pré-natal, escolha um médico de confiança para lhe acompanhar durante este período.

3. Não tome remédios sem antes falar com um médico.

4. Diminua o consumo de cafeína. 

5. Descanse, sempre que possível e que sentir necessidade, a qualidade do sono é um fator importante na gravidez, para evitar o estresse e aumentar a disposição.

6. Tome suplemento de ácido fólico, este suplemento é aconselhável para todas as mulheres que pretendem engravidar, porém ele não deve ser tomado sem prescrição médica.

7. Evite o consumo diário de refrigerantes. A água é a melhor bebida para o seu corpo.

8. Não fume e evite bebidas alcoólicas. Manter esses hábitos durante a gravidez pode resultar em complicações.

9. Procure manter o peso dentro dos limites saudáveis para a  idade gestacional.

10. Seja ativa! Procure fazer no mínimo 30 minutos de atividade física diária, evitando exercícios muito intensos.

Postado em 08/04/2015 às 08:33:44

Comentários

  • Nenhum comentario enviado ainda, seja o primeiro a comentar...
Comentar

Porque acreditar no coelhinho?

De olhos vermelhos, de pelo branquinho… Não é preciso dizer mais nada, né? <3
Construir um universo inteiro de fantasia para as crianças é uma delícia! E a Páscoa é uma ótima oportunidade para isso. Desenhar pegadas no chão, esconder ovos e contar a história de que o coelhinho vai nos fazer uma visita, deve fazer parte da infância dos nossos filhos. Com toda a certeza!

Até os 6 anos, a criança está em uma fase em que a fantasia é muito intensa e acreditar nesses personagens faz parte do desenvolvimento cognitivo. Essa magia auxiliará na formação do pensamento simbólico, além de exercitar a linguagem. Seu filho, no futuro, vai se tornar muito mais criativo, capaz de fazer analogias, de criar metáforas e de saber lidar com a seriedade do mundo adulto.

Após os 7 anos, as crianças começam a diferenciar o que é fantasia e o que é realidade. Cabe a você contar a verdade aos pouquinhos. Não negue o que seu filho já descobriu. Mostre que aquilo era um faz de conta, um tipo de desenho animado. E é bom que, após essa idade, a criança perceba que tudo era fantasia mesmo, porque se ela for a única a ainda acreditar, pode ficar constrangida na frente dos amiguinhos.

Se você tem mais de um filho e o mais velho já sabe a verdade, peça a ele para não contar. Lembre-o de que, quando ele acreditava, era gostoso e divertido. Se ele revelar a fantasia ao mais novo, não desminta. Vai ficar tudo bem! Se o seu filho ficar triste com a descoberta, não se sinta culpada. E não se surpreenda se ele tiver crises de raiva. É só uma forma de expressar o desapontamento. Vai passar!

Agora, lembre-se: não é porque as crianças não acreditam mais no coelho, que a Páscoa deve deixar de acontecer. Esconder os ovos de chocolate, decorar a casa e pintar casquinhas sempre será divertido. E essa é a parte mais importante na vida de uma criança: a diversão! *-*

Fonte: Revista Crescer

Postado em 02/04/2015 às 15:08:57

Comentários

  • Nenhum comentario enviado ainda, seja o primeiro a comentar...
Comentar
 1 




Kiko e Kika       |       © Copyright 2013
« voltar ao site