Calendário do Advento

Lembra da expectativa que sentíamos, na época de criança, esperando o Natal chegar?

Que tal fazer dessa contagem regressiva, um momento especial para os pequenos também?

Um jeito simples e divertido é confeccionar um calendário do advento. Ele é uma invenção alemã beeeeeeem antiga, formado por 24 janelinhas, que correspondem aos 24 dias do mês de dezembro até a chegada do Natal. No primeiro dia do mês, as crianças ganham um calendário e abrem uma nova janelinha a cada dia, fazendo-se a contagem regressiva até a grande data.

Eu sei que ainda falta mais de um mês para o Natal! Mas se levarmos em conta que dezembro é agitadíssimo, e o calendário do advento começa a ser aberto logo no primeiro dia, percebemos que nem temos tanto tempo assim… Então é melhor começar logo!

Você só vai precisar de 24 embalagens para acomodar os enfeites. Podem ser caixinhas, papéis, saquinhos de tecido, caixas de fósforo, ou o que você preferir. Em cada uma delas coloque uma lembrancinha, pode ser uma foto, brinquedos ou enfeites para a árvore de Natal. Você também pode colocar um recadinho e um docinho dentro de cada envelope, para deixar a atividade ainda mais gostosa!

Abaixo, selecionamos algumas ideias, para te deixar mais inspirado!



Mais imagens


Postado em 27/11/2015 às 08:25:32

Comentários

  • Nenhum comentario enviado ainda, seja o primeiro a comentar...
Comentar

Como fazer seu filho gostar de matemática?

A matemática é um problema para muitas crianças e adolescentes e é conhecida como uma das grandes vilãs da escola nas séries iniciais. Estimular a criança a participar de jogos, que desenvolvam o raciocínio lógico, e ler histórias infantis, com conceitos e noções de matemática, podem ser algumas formas de incentivá-la a gostar da disciplina.

Antes de aprender a tabuada, você pode ajudar o seu filho a desenvolver habilidades matemáticas. Veja dez dicas para incentivar seu filho a entender essa matéria.

1. Não faça seu filho ter medo da matemática.
Por ser um estigma social, é normal que ao entrar na escola, as crianças escutem “você precisa estudar mais porque é matemática!” ou “preste atenção, porque matemática é mais difícil que as outras!”. Isso é um mito e as crianças podem ser influenciadas negativamente dentro da própria família. 

2. Ajude seu filho a aprender brincando.
Muitas vezes os pequenos sequer percebem que estão aprendendo em uma brincadeira. É interessante a construção de brinquedos junto com a criança, como boliche de garrafa pet ou dominó. O processo de construção a auxilia a entender as formas geométricas e como as coisas são feitas.

3. Resgate brincadeiras tradicionais.
Jogos como amarelinha, pega-pega e jogar bola também provocam o desenvolvimento matemático. A matemática envolve muito mais que números, envolve os conceitos de espaço, forma, tempo e medida, por exemplo.

4. Utilize histórias infantis com conceitos da matemática.
Alguns livros trazem questões envolvendo quantidade, medidas e espaço e é importante para a criança lidar com essas noções. Se os pais ainda dramatizarem a história, isso vai despertar o interesse da criança, que vai fazer junto, contar e se envolver.

5. Proponha a resolução de problemas não convencionais.
Ao colocar a criança diante de um problema incomum, você a provoca a sair de sua zona de conforto e buscar respostas em outros lugares. É legal conversar com a criança para que ela possa elaborar respostas e você deve sempre valorizar a resposta, para que ela não sinta que só existe uma resposta correta.

6. Brinque com dobraduras.
Um dos lados que mais ajuda o desenvolvimento da criança na matemática é o raciocínio geométrico. Você pode estimular essa área ao fazer dobraduras com seu filho. Os origamis são uma maneira de seu filho visualizar as formas geométricas e aprender brincando! 

7. Permita o uso de tecnologias.
De modo equilibrado, moderado, os aparatos tecnológicos contribuem para o raciocínio lógico. É necessário lembrar que os pais precisam controlar o uso e o conteúdo do que os pequenos usam, mas vários jogos podem incentivá-los a pensar além do dia a dia.

8. Deixe seu filho ajudar nas tarefas de casa.
Atividades como arrumar a mesa e reorganizar os próprios brinquedos estimulam o seu filho a resolver pequenos problemas e entender alguns conceitos como construção hierárquica e o conceito de número, trabalhando com quantidades."Se tem 4 pessoas, quantos copos precisam ser colocados? 

9. Permita que a criança resolva da sua própria maneira.
Cada criança tem a sua forma de solucionar problemas e os pais podem ajudar com isso, deixando o filho entender por si só. 

10. Aposte em jogos educativos.
Alguns jogos como quebra-cabeças e tangram contribuem para o desenvolvimento do raciocínio geométrico do seu filho. Os dois podem ser construídos com a criança.



Postado em 20/11/2015 às 08:04:53

Comentários

  • Nenhum comentario enviado ainda, seja o primeiro a comentar...
Comentar

Pão de Porquinho

É sempre incrível mudar a maneira de preparar os alimentos. E você pode fazer isso até com as receitas mais básicas, que não mudam nunca, como o pão. Já imaginou servir hambúrgueres deliciosos em pãezinhos com formato de porquinho? 

Você só vai precisar de:
- 450 g de farinha
- 14 g de fermento instantâneo
- 250 ml de leite quente
- 2 colheres (chá) de açúcar
- 40 g de manteiga em temperatura ambiente
- 1/2 colher (chá) de sal
- Pedacinhos de uva passa ou azeitonas pretas (para os olhos)

Modo de fazer:
Misture todos os ingredientes, exceto a manteiga, em uma tigela grande para obter a massa. Adicione a manteiga e amasse por cerca de 10 minutos, até obter uma massa elástica e macia. Cubra a mistura com plástico filme e deixe descansando, por uma hora em um lugar aquecido. A massa deve dobrar de tamanho. 

Em uma mesa polvilhada com um pouco de farinha, vá sovando, até que saia todo o ar. Divida a massa em 6 partes e deixe cada parte com o formato de uma bolinha. Cubra todas elas com o plástico filme e deixe descansar por 15 minutos. Faça bolinhas pequenas para as orelhas e o focinho. Depois, cubra os pãezinhos com plástico filme, coloque-os em uma assadeira untada com manteiga e deixe descansar por mais 40 minutos. 

Decorrido o tempo, com a ajuda de um canudinho, faça dois furinhos no nariz. Coloque as uvas passas ou azeitonas para formar os olhos. Passe manteiga derretida sobre os pãezinhos e leve-os ao forno para assar, a 180ºC por cerca de 20 minutos ou até dourarem.

E pronto! <3

Fonte: Bento, Monsters!



Postado em 13/11/2015 às 07:58:49

Comentários

  • Nenhum comentario enviado ainda, seja o primeiro a comentar...
Comentar

Estimule a generosidade

O ser humano nasce com a habilidade de falar 15 línguas diferentes, tocar todos os instrumentos e está preparado para morar em qualquer parte do planeta. A medida que crescemos, várias habilidades são cortadas da vida e, muitas vezes, acabam atrofiando. Porém, aquelas crianças que são estimuladas a aprender, conviver e construir essas oportunidades desenvolvem melhor todos esses elementos. E o mesmo acontece com a generosidade. 

O exemplo dos pais é fundamental
Nos primeiros anos de vida, as crianças aprendem observando e repetindo o comportamento dos pais. Elas falam as palavras que estão acostumadas a ouvir, assim como os gestos e movimentos, que aprendem por repetição. A mesma coisa acontece com as atitudes que elas tomam diante de situações cotidianas. A generosidade está no respeito. Na hora de saber ouvir e falar, de saber ganhar e, principalmente, de saber perder. Todas as crianças passam por uma fase mais egoísta, em que não querem dividir brinquedos nem alimentos com as outras. Quando os pais percebem a atitude de seu filho, eles não devem reagir de modo a deixá-lo tenso ou com medo. É preciso conversar com a criança sobre o processo de compartilhamento e, claro, dar o exemplo.

Tem que ser natural
É preciso tomar cuidado para não forçar essa solidariedade apenas em momentos que parecem oportunos. Claro que qualquer chance de ajudar o próximo deve ser incentivada, mas é preciso entender que essas ações devem estar presentes no dia a dia. A questão da generosidade deve ser vivenciada pela criança e por sua família todos os dias. Não adianta cobrar das crianças uma atitude de um dia para o outro - a generosidade deve funcionar como uma evolução. A família deve ser paciente e ir no ritmo da criança até que ela entenda que esse é o melhor caminho. 

Uma técnica que funciona muito bem é o reforço positivo: quando seu filho agir de forma altruísta por iniciativa própria, você deve parabenizá-lo e mostrar a ele como aquela atitude foi incrível. :)

Fonte: Revista Crescer 



Postado em 06/11/2015 às 08:24:32

Comentários

  • Nenhum comentario enviado ainda, seja o primeiro a comentar...
Comentar
 1 




Kiko e Kika       |       © Copyright 2013
« voltar ao site