02 de Abril de 2019: Dia Mundial da Conscientização do Autismo.

Neste dia mundial da Conscientização do Autismo, além de informar como pode ser identificado, queremos reforçar a importância desta consciencialização transformando-a em  conhecimento, capacitação e menos preconceito nas famílias, educação dos filhos e nas escolas. O autismo é um transtorno de desenvolvimento que retarda a capacidade de se comunicar e interagir, prejudicando o aprendizado das crianças. Não há um tempo exato para identificação do problema, mas geralmente torna-se visível nos primeiros meses de vida da criança, através de alguns sinais: quando o bebê não reage a sons que costumam chamar a atenção deles, não emite nenhum som como pequenos gritos e gemidos, está sempre com a mesma expressão facial, dificilmente sorri e prefere não ficar no colo.

Após o primeiro ano é possível identificar através de reações como a ter uma antipatia por muitos beijos e abraços, encontra dificuldade em interagir e brincar com outras crianças, quando é chamado por alguém costumam não responder e preferem ficar isolados. Na fase entre um e dois anos de idade podem iniciar movimentos repetitivos como bater na cabeça, ficar se balançando, bater a cabeça na parede e outros movimentos mais complexos. Já o desenvolvimento físico é normal.

Ao suspeitar do autismo é essencial a procura por um pediatra especialista para a avaliação.  Não existe cura para autismo, mas um programa de tratamento precoce como fazer terapia de comunicação e comportamento, medicamentos prescritos pelo especialista, terapia ocupacional, terapia do discurso/linguagem, poderão ajudar a reduzir drasticamente o grau de autismo, permitindo que tenham uma rotina semelhante à das outras crianças da sua idade.

Assim como os pais devem se informar e buscar tratamentos para uma vida saudável do seu filho, é necessário a qualificação de profissionais na área da educação, ainda há muitos casos de rejeição nas escolas por estas crianças, muitas vezes por não terem profissionais preparados para recebê-los. Como também a conscientização dos possíveis colegas de classe, que não devem repudiar o comportamento diferente de algum colega. Devemos estar atentos, abordando a importância da empatia e o respeito pelo próximo, assim conseguiremos melhorar o dia a dia das nossas crianças.

Referências: Tua Saúde | Revista Crescer | Abril

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *